Conselho Federal de Medicina (CFM) libera mulheres com mais de 50 anos para fazer tratamento de inseminação artificial

Conselho Federal de Medicina (CFM) libera mulheres com mais de 50 anos para fazer tratamento de inseminação artificial

Conselho Federal de Medicina (CFM) libera mulheres com mais de 50 anos para fazer tratamento de inseminação artificial

Uma nova resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM) liberou mulheres com mais de 50 anos para fazer tratamento de inseminação artificial.

Assim, mulheres com mais de 50 anos que queiram engravidar vão poder recorrer a técnicas de reprodução assistida, desde que assumam os riscos do procedimento.

A decisão faz parte de nova resolução divulgada na semana passada pelo CFM, que atualiza as regras para reprodução assistida no Brasil.

Especialistas no assunto comemoraram a decisão, que, segundo eles, representa um grande avanço frente à última resolução do órgão, de 2013.

“A norma atual veio para corrigir alguns pequenos problemas. A resolução evita abusos e resguarda a saúde da mulher. Antes, uma mulher de 49 anos, hipertensão e que tinha diabetes podia utilizar a reprodução assistida e uma de 50, mesmo saudável, não. O conselho corrigiu isso e cabe o discernimento do médico para decidir se é possível fazer ou não”, comenta Luiz Fernando Dale, especialista em Reprodução Humana e membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida.

Maria Cecília Erthal, especialista em reprodução humana e diretora-médica do Vida  – Centro de Fertilidade da Rede D’Or, concorda. “Entendemos que existem riscos, mas a decisão da mulher prevalece, desde que ela receba todos os esclarecimentos do médico que a acompanha. Além de expandir o alcance das normas, é importante garantir a segurança do paciente e a ética no trabalho do especialista”.

Fontes : O Dia e Bem Estar (Rede Globo de Televisão)

 

 

Escrever Comentário