Dicas para a limpeza do quarto do bebê

Dicas para a limpeza do quarto do bebê

Dicas para a limpeza do quarto do bebê

A limpeza do quarto do bebê é essencial para evitar alergias e outros mal-estares. Mas, além da limpeza básica, outros cuidados devem ser tomados, principalmente em relação aos produtos químicos usados. As principais dicas são:

– Arejar o ambiente diariamente – é muito importante que o ambiente seja arejado todos os dias. Deixe janelas e cortinas abertas para que possa circular o ar evite a aglomeração de ácaros.

Se há problemas com mosquitos em sua região, instale mosquiteiros nas janelas, isso manterá o ambiente arejado e livre de mosquitos e outros insetos.

– Escolher produtos certos – evite produtos de limpeza com cheiro forte. O indicado é usar produtos neutros ou sem cheiro. Muitas vezes um pano limpo umedecido é suficiente para fazer a limpeza.

Enquanto estiver passando esses produtos químicos mantenha o ambiente arejado, pois isso vai fazer com que o cheiro desapareça mais rápido e diminuirá a inalação por quem estiver manuseando o produto.

– Aspirar o pó – passar o aspirador de pó não só no chão, mas em estofados, poltronas, almofadas, cortinas, inclusive no berço e, pelo menos uma vez na semana, no colchão também. Não é aconselhável passar vassoura no quarto do bebê, pois levanta a poeira.

– Trocar a roupa de cama semanalmente – além dos lençóis e fronhas, lembre-se de lavar almofadas e colchas das camas com frequência.

Aproveite a troca da roupa de cama para virar o colchão. Faça isso toda semana. Sempre que virar o colchão passe um pano úmido em todo o colchão e se possível coloque-o para pegar sol. Caso não seja possível o sol, coloque-o de pé de tal maneira que circule ar em volta dele. Dessa forma o colchão estará sempre higienizado e irá durar por mais tempo.

– Lavar o chão ou passar pano após aspirar o pó – Poeira é muito ruim de ser limpa, por ser leve e se deslocar com muita facilidade. O recomendado é passar o aspirador de pó e logo após um pano úmido para não sobrar resquícios que possam fazer mal para o bebê.

Novamente evite utilizar produtos químicos, mas se você acha que só produtos químicos é que limpam, então faça isso com o ambiente arejado e sem a criança por perto.

– Evitar bichos de pelúcia no quarto – apesar de lindos e de dar um charme especial na decoração, os bichos de pelúcia costumam acumular muito pó. Hoje existem pelúcias antialérgicas e bonecos de pano que são mais indicados para bebês. Mesmo estes devem ser lavados regularmente.

– Tirar o bebê do quarto na hora da limpeza – um detalhe importante é que o bebê não deve estar no quarto quando o ambiente estiver sendo limpo. Eles costumam ser muito sensíveis em relação a alergias respiratórias.

 

Como ninar o seu bebê

Como ninar o seu bebê

Como ninar o seu bebê

A hora de dormir é um momento muito especial para o bebê. Além de ser um momento de descanso para os pais, durante o soninho a criança repõe suas energias que são tão necessárias para que ela possa explorar e conhecer o mundo ao seu redor. 

Porém cada bebê possui um comportamento diferente na hora de dormir, o que faz com que os pais precisem desenvolver técnicas específicas para niná-los e para garantir que possam ter um sono satisfatório. 

Algumas crianças são mais agitadas, já outras mais tranquilas, por esse motivo é preciso que os pais busquem por alternativas na hora de ninar o seu filho ou filha. Para ajudar você nesse momento, separamos algumas dicas de como ninar um bebê que podem ser utilizadas por qualquer pessoa. Por meio de atitudes simples é possível garantir um sono mais tranquilo para seu filho (a) e ter muito mais qualidade de vida.

A primeira dica trata-se da criação de uma rotina na hora de dormir, que pode fazer com que seu filho durma bem rapidamente. Ao longo dos dias, comece a criar um tipo de ritual na hora de dormir. Você pode dar um banho, fazer uma brincadeira mais tranquila ou simplesmente amamentar seu filho, todos os dias no mesmo horário, sempre antes da hora de dormir. Dessa maneira a criança irá associar essa atitude ao horário de descanso e certamente irá dormir rapidamente.

Outra dica é colocar uma música bem tranquila na hora de dormir e segurar o seu bebê no colo, fazendo carinhos até que ele durma.Na hora de ninar, sempre procure um local bem calmo e evite que pessoas fiquem circulando por esse ambiente.

Um dos maiores segredos de como ninar um bebê está em deixá-lo o mais relaxado possível no momento de dormir. Por esse motivo, uma excelente opção é fazer uma massagem na criança antes da hora de dormir. Existem técnicas especiais para realiza esse tipo de massagem que podem ser encontradas facilmente em vídeos explicativos na internet. A massagem, além de relaxar a criança, ainda pode ajudar a aliviar cólicas e fazer com que seu filho durma por várias horas, sem acordar no meio da noite.

 

A alimentação da mamãe durante a amamentação

A alimentação da mamãe durante a amamentação

A alimentação da mamãe durante a alimentação

Não existe mulher com o leite ruim ou leite fraco. Toda mãe produz o leite ideal para o seu filho. Portanto, nada de colocar mil caraminholas na cabeça achando que o seu bebê não está sendo bem alimentado.

É claro que mesmo assim toda mãe acaba se preocupando com o que come durante o período de aleitamento. As perguntas não param. Será que posso comer isso ? Será que aquilo pode ser forte demais para o bebê ?

Em situações de suspeita de alergia alimentar no bebê, em aleitamento materno exclusivo, cujo diagnóstico é bem difícil, pode-se pensar numa dieta hipoalergênica para a mamãe.

O correto é manter uma alimentação saudável, com bastante leite, água e sucos sem açúcar ou pouco açúcar, para estimular a produção de leite. Se houver suspeita de que seu bebê reage a um determinado tipo de alimento que a mãe consome, como temperos fortes, por exemplo, fique de olho nas manifestações no bebê. Ele pode ficar agitado ou apresentar alguma alergia. Nesse caso, tente identificar qual foi o alimento que a mãe ingeriu e pode ter causado a reação no bebê e evite o seu consumo.

É bom lembrar que durante a amamentação não há razão para iniciar uma dieta. Ela pode comprometer a produção e a quantidade de leite e, consequentemente, prejudicar a nutrição do bebê. Para produzir uma boa quantidade de leite, a mãe necessita de uma alimentação balanceada e muitos copos de água ou qualquer outro líquido, além de relaxar bastante.

Ela pode aproveitar para descansar durante os períodos de sono do bebê, deixando afazeres e compromissos para outras pessoas. Nessa fase, todos têm que ajudar.

Uma consulta com um nutricionista pode ser a melhor opção para elaborar um cardápio adequado, com refeições e lanches saudáveis.

E é claro que remédios, bebidas e fumo não combinam com amamentação. A mãe que amamenta deve lembrar sempre que essas substâncias perigosas podem ser transferidas para o leite materno. É por isso que a amamentação é contra-indicada para mães que sejam dependentes químicas.

Fonte : Guia do Bebê – UOL

Até que idade você deve esterilizar os itens do bebê

Até que idade você deve esterilizar os itens do bebê

Até que idade você deve esterilizar os itens do bebê

Quando nascem, os bebês não têm um sistema imunológico maduro para se defenderem das milhões de bactérias que tentam invadir o corpo humano diariamente.

Uma das medidas adotadas pelos pais para proteger a criança é esterilizar os objetos que são levados à boca, assim como passar com ferro bem quente os itens do enxoval para minimizar os riscos de contaminação.

Mas até quando os adultos devem adotar esses cuidados especiais ? Tire suas dúvidas a seguir.

Mamadeiras

Até o sexto mês do bebê, a cada uso, é importante desmontar a mamadeira e lavá-la. Também a cada uso é preciso esterilizá-la, o que pode ser feito de duas maneiras. A primeira é em fogão convencional, colocando os itens em uma panela, com água cobrindo-os, e ferver por, pelo menos, cinco minutos. A segunda é em um esterilizador para micro-ondas, bastando seguir as orientações do manual do produto. A partir do sétimo mês do bebê, basta esterilizar uma vez por dia até que ele complete um ano. “Não tomar esse cuidado inicial pode predispor a criança a uma infecção”, afirma Felipe Lora, pediatra do Hospital Infantil Sabará, de São Paulo.

Chupetas e mordedores

A boca tem um revestimento mucoso – a parte avermelhada de dentro – que é mais frágil e suscetível à passagem de micróbios. Quando recém-nascido, a indicação é esterilizar a chupeta sempre antes de usar ou depois de ela cair no chão. Depois dos seis meses, lavar com água corrente e detergente neutro já é suficiente.
Os mordedores, indicados a partir do momento em que os dentes começam a nascer ou a gengiva coçar, podem ser lavados apenas com detergente neutro, em água corrente, desde o primeiro uso. “Do mesmo modo que limpamos os objetos que vão à boca do bebê, devemos lembrar de lavar as mãos antes de mexer na criança ou pegar nessas peças. De nada adianta limpar tão bem tudo e, ao pegá-la, contaminá-la com bactérias das mãos sujas”, afirma Victor Nudelman, pediatra do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo.
Lençóis, toalhas e babadores
Os riscos de infecção em bebês são maiores até os três meses de vida. Durante essa primeira etapa, portanto, é indicado lavar os itens do enxoval separados das peças dos adultos, e usar sabão de coco para evitar alergias. Depois de secos, os tecidos que são levados à boca, como lençóis, toalhas e babadores, devem ser passados com ferro quente para afastar as bactérias. No entanto, essa rotina não precisa ser levada ser mantida por muito tempo. “Após o quarto mês, não é mais necessário passar se não tiver tempo”, diz Jayme Oliveira Filho, dermatologista do Hospital e Maternidade Santa Joana, de São Paulo.
Roupas
Antes do primeiro uso, as roupas do bebê devem ser lavadas apenas com sabão de coco e passadas a ferro. A mesma rotina deve ser feita a cada lavagem. Após os seis meses, quando a pele do bebê já está mais resistente, consulte o pediatra da criança sobre a conduta ideal. “É melhor lavar tudo sem aditivos como amaciantes, alvejantes, removedores de manchas e sabão em pó comum até completar um ano, quando, então, é seguro lavar as peças com as roupas dos adultos”, diz Oliveira Filho. “Porém, uma criança com tendência a alergias ou dermatite talvez precise desses cuidados por um prazo mais prolongado”, fala Lora.
Fonte : UOL.