Como minimizar os enjoos na gravidez

Como minimizar os enjoos na gravidez

Como minimizar os enjoos na gravidez

O enjoo, infelizmente, mamãe, é o sintoma mais frequente da mulher grávida.

Cerca de 70% das mulheres sentem enjoos no primeiro trimestre da gestação, principalmente no segundo e terceiro mês.

Não há uma receita infalível que acabe com o enjoo. O que vale para uma mãe pode não ter efeito nenhum para outra.

Há alguns fatores que podem ser a causa dos enjoos, mas não tem nada comprovado. Uma das teorias são que os níveis de hormônios aumentam e se alteram no primeiro trimestre.

A progesterona, que é responsável por manter a gravidez, deixa o estômago mais preguiçoso, isto é, há uma lentidão no trato gastrointestinal. Portanto, o alimento demora a chegar ao intestino, provocando os enjoos e até os vômitos.

Existem trabalhos que indicam que mulheres que têm altos níveis do hormônio gonadotropina coriônicas (HGC) são mais propensas a ter enjoos, como as mulheres grávidas de gêmeos. Mas ainda não existe relação consistente entre algum nível de HCG e enjoo, pois duas mulheres com o mesmo nível de HCG podem apresentar sintomas diferentes. Coisas da natureza.

Geralmente os enjoos aparecem na parte da manhã. Ou as futuras mamães já acordam enjoadas e ou enjoam assim que levantam. Por isso os enjoos são chamados de enjoos matinais.

Isso não é regra, os enjoos podem aparecer também à tarde e à noite.

Na grande maioria dos casos, as mamães conseguem contornar esses enjoos em casa mesmo.

Raros os casos de mamães que perdem muito peso, ficando desidratadas e tendo que tomar alguma medicação para controlar os enjoos. Caso isso aconteça, o médico deverá ser consultado.

A fase dos enjoos varia de mulher para mulher, mas em geral ocorre entre o final do segundo mês (semana 8) e o final do quinto mês lunar (semana 20).

Veja algumas dicas para evitar os enjoos na gravidez :

  • Coma frutas ou biscoitos água e sal antes de levantar da cama – O estômago vazio piora o enjoo. Comendo antes de levantar e esperando um pouco poderá evitar esse enjoo que aparece logo pela manhã. Os biscoitos, alimentos ricos em carboidratos ou frutas podem amenizar os enjoos durante todo o dia.
  • Coma pouco, mas de duas em duas horas – O estômago cheio também pode levar ao enjoo já que a digestão está mais lenta.
  • Evite alimentos gordurosos – Esses alimentos são de difícil digestão. Evite também alimentos muito condimentados e açúcares.
  • Evite deitar logo após comer  – Se a mamãe deitar depois de comer pode ter refluxo ou vontde de vomitar.
  • É fundamental que a mamãe esteja bem hidratada. – É sempre importante estar bem hidratada, mas evite o excesso de ingestão de água.

Fonte : Guia do Bebê – UOL

 

Comer chocolate na gravidez favorece o desenvolvimento do bebê

Comer chocolate na gravidez favorece o desenvolvimento do bebê

Comer chocolate na gravidez favorece o desenvolvimento do bebê

Segundo estudo da Universidade Laval, em Quebec, no Canadá, consumir chocolate durante a gravidez pode melhorar a função placentária e favorecer o desenvolvimento do bebê.

Estudos anteriores sobre o assunto haviam chegado a resultados conflitantes. Por isso, o objetivo dessa pesquisa era avaliar se o chocolate com alto teor de flavonoides (compostos químicos conhecidos por sua capacidade de diminuir a pressão sanguínea e proteger contra doenças do coração) seria mais benéfico para as gestantes do que a versão comum do doce.

Foram avaliadas 129 mulheres entre a 11ª e a 14ª semanas de gestação, divididas em dois grupos: as que consumiram chocolate com alto teor de flavonoides e as que ingeriram a versão com baixo teor da substância.

Cada mulher comeu  30 g de chocolate por dia durante 12 semanas e foi acompanhada pelos pesquisadores até o momento parto.

Os resultados demonstraram que não houve diferença entre os índices de pré-eclâmpsia (pressão alta após a 20ª semana de gestação), peso da placenta ou peso do bebê ao nascer entre as mulheres dos dois grupos.

No entanto, a pulsatilidade das artérias uterinas (que indica melhor circulação sanguínea fetal e placentária) apresentou, nas participantes do estudo, um índice muito maior do que o encontrado na população em geral.

Segundo os pesquisadores, isso indica que o consumo moderado de chocolate, mesmo que apresente baixo teor de flavonoides, tem um impacto positivo no desenvolvimento da placenta e, por consequência, no crescimento do feto.

Fonte : UOL

Pesquisadores do Brasil e dos Estados Unidos vão trabalhar juntos para desenvolver a vacina contra o vírus da zika

Pesquisadores do Brasil e dos Estados Unidos vão trabalhar juntos para desenvolver a vacina contra o vírus da zika

Pesquisadores do Brasil e dos Estados Unidos vão trabalhar juntos para desenvolver a vacina contra o vírus da zika

Cientistas correm pra desenvolver uma vacina contra o vírus da zika.

No Pará, o repórter Fabiano Villela mostra como está uma das pesquisas mais avançadas no Brasil.

Os pesquisadores do Instituto Evandro Chagas levaram dois meses para fazer o sequenciamento do genoma do vírus. Isso quer dizer que eles mapearam todo o código genético do zika para estudar as características dele.

No mês que vem, três cientistas do Evandro Chagas irão se juntar a pesquisadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos. O grupo vai aplicar duas técnicas para desenvolver a vacina. Na principal delas, eles vão separar duas partes do material genético para produzir proteínas, que serão a base da vacina. A aposta dos cientistas é que essas proteínas estimulem o nosso organismo a produzir anticorpos, que vão nos proteger contra o vírus da zika.

“Essa é a abordagem mais rápida, mais segura, mais eficiente que nós temos e mais inócua também, porque ela pode inclusive ser usada em gestantes. Nosso planejamento é para o uso em mulheres em idade fértil, estando ou não gestante”, diz Pedro Vasconcellos, pesquisador do Instituto Evandro Chagas.

Se tudo der certo, a previsão é de que até março do ano que vem comecem os testes em seres humanos. Mas até a vacina ser liberada para a gente, vai levar mais tempo.

“Acreditamos que seriam necessários mais dois anos de testes em humanos, inicialmente, para termos a vacina”, diz o pesquisador Pedro Vasconcellos.

Fonte : Jornal Nacional – Rede Globo de Televisão

 

 

4 de fevereiro, Dia Mundial da Luta contra o Câncer

4 de fevereiro, Dia Mundial da Luta contra o Câncer

4 de fevereiro, Dia Mundial da Luta contra o Câncer

Uma doença que não escolhe cor, sexo ou idade. Assim é o câncer, cujo dia mundial é lembrado na próxima quinta-feira.
Em comemoração à data, o EXTRA vai levar leitores para um debate sobre prevenção com especialistas do Instituto Nacional do Câncer (Inca).
Adotar hábitos saudáveis é a primeira recomendação — seja para crianças, homens, mulheres ou idosos — para se proteger do problema.
Considerado uma doença multifatorial (ou seja, pode ter múltiplas causas), o câncer tem mais chances de se desenvolver com envelhecimento. Segundo o sanitarista e epidemiologista Arn Migowski, da Divisão de Detecção Precoce do Inca, o avanço da idade é um dos fatores associados ao câncer de próstata e ao de mama, os mais frequentes em homens e mulheres, respectivamente. Em crianças, os motivos que levam ao aparecimento de tumores são, na maioria dos casos, desconhecidos.

— A incidência de câncer (entre crianças) vem aumentando lentamente ao longo dos anos. É possível que as razões sejam devidas a fatores ambientais. Em menos de 10% dos casos a doença é causada por uma mutação hereditária (mutação genética que passa dos pais para o filho). A melhora no diagnóstico e acesso ao tratamento podem também ser responsáveis por esse aumento — diz a médica Sima Ferman, chefe do setor de pediatria do Inca.

De acordo com a especialista, os mesmos hábitos que ajudam a prevenir a doença nos adultos podem ser iniciados nas crianças, o que inclui fazer atividade física, seguir uma alimentação saudável (com cinco porções diárias de frutas e vegetais, no mínimo) e controlar o peso corporal. Manter a vacinação em dia também é importante: a imunização contra o vírus HPV, por exemplo, é uma das formas de se proteger do câncer de colo de útero, terceiro mais frequente nas mulheres.

— A vacina foi instituída no calendário nacional em 2014 e está disponível para meninas de 9 a 13 anos — explica a médica Maria Beatriz Kneipp Dias, chefe da Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede do Inca.

Fonte : Jornal Extra