Dormir menos de 6 horas por dia faz mal a saúde

Dormir menos de 6 horas por dia faz mal a saúde

Dormir menos de 6 horas por dia faz mal a saúde

Uma noite em que a pessoa dorme pouco é o que mais pesa para a queda da produtividade no trabalho, revelou estudo feito pela Universidade Cambridge, na Grã-Bretanha.

Segundo especialistas, quem dorme menos de seis horas por noite sofre de cansaço, sonolência e problemas cardiovasculares e neurológicos.

Durante a pesquisa, em parceria com o Instituto Rand Europe, os cientistas analisaram 21 mil funcionários de empresas que participaram do concurso ‘A empresa mais saudável da Grã-Bretanha’, no qual relatavam quais eram seus hábitos.

A partir deste levantamento, os pesquisadores detectaram que o melhor desempenho no trabalho era daqueles que dormiam entre sete e oito horas toda noite.

De acordo com a neurologista Andrea Bacelar, se uma pessoa não tiver boa noite de sono, não consegue recompor as energias para o dia seguinte. Com isso, não há um restabelecimento das funções neurológicas, o que traz prejuízos ao organismo, como hipertensão, diabetes, maior irritabilidade e falta de concentração. Com tantas obrigações e informações que recebemos no dia a dia, estamos tendo uma privação crônica de sono. Deitamos cada vez mais tarde e acordamos muito cedo, o que compromete o descanso. No dia seguinte, não conseguimos assimilar os conhecimentos. É preciso restabelecer a memória.

Para evitar a queda de desempenho, o ideal é ‘desacelerar o cérebro’ antes de se deitar, além de dormir de sete a oito horas. Segundo a médica, as pessoas precisam se distanciar principalmente do e-mail e do celular à noite. E, de acordo com a neurologista, fazer exercícios físicos à noite também prejudica o sono.

Fonte : Jornal O Dia

Dicas de alimentação para as mamães

Dicas de alimentação para as mamães

Dicas de alimentação para as mamães

Se alimentar bem é fundamental para a saúde das mulheres que estão grávidas e as que tiveram filho recentemente. Vitaminas, nutrientes e minerais estão presentes em vários alimentos. Veja em quais :

  • VITAMINA B1 : Estimula o metabolismo energético da mamãe. É encontrada em carnes, ovos, frutas, cereais integrais e legumes.
  • VITAMINA C :  É encontrada em várias frutas, sendo a laranja a mais fácil de encontrar em feiras e supermercados.  A vitamina C tem como principal função a proteção do organismo. A vitamina C tem um papel importante na absorção do ferro, na cicatrização e no crescimento normal dos ossos e fortalece o sistema imunológico, evitando resfriados.
  • FERRO : Encontrado principalmente no feijão e na carne de fígado.  O corpo precisa de ferro para realizar uma série de funções, como a produção de hemoglobina (proteína do sangue que ajuda a carregar oxigênio para as células do corpo) e a manutenção de um sistema imunológico saudável. A quantidade de sangue aumenta durante a gestação, então mais ferro é necessário para produzir mais hemoglobina.
  • VITAMINA D : encontrada em peixes como atum e sardinha. A vitamina D é muito importante para as gestantes. No primeiro trimestre a falta dela pode levar a abortos. Em casos de abortos múltiplos no início da gravidez, pode ser que o sistema imunológico da mãe esteja rejeitando a implantação do embrião. Como a vitamina D age no sistema imunológico, ela pode corrigir este problema. A exposição correta ao sol também é importante para que o organismo da mulher tenha um obtenção maior de vitamina D. A vitamina D melhora a absorção do cálcio, fortalecendo os ossos.
  • CÁLCIO : Presente no leite e em seus derivados, como iogurtes naturais, o cálcio tem que ser consumido na dose correta para não aumentando o risco de pedras nos rins e afetando sua capacidade de absorver ferro e zinco dos alimentos. Porém, o cálcio é fundamental para ossos e dentes. A grávida precisa dele para garantir que seu bebê tenha um coração saudável, ossos e dentes fortes e bons nervos e músculos.
  • ÁCIDO FÓLICO : Encontrado em vegetais verde escuros (espinafre, couve, brócolis). O cozimento pelo microondas e altas temperaturas destroem o ácido fólico. Prefira cozinhar no vapor. O ácido fólico ajuda a prevenir doenças do tubo neural no bebê, como a espinha bífida (quando a medula espinhal não se fecha por completo), e do cérebro, como a anencefalia. Os defeitos do tubo neural acontecem durante o estágio inicial de desenvolvimento, muitas vezes antes até que as mães saibam que estão grávidas.
  • MAGNÉSIO : É encontrado em amêndoas,castanhas-do-pará e avelã. O magnésio ajuda a combater contrações uterinas antes da hora. Ele pode ser tomado a partir de 20 semanas de gestação. Além disso, o uso de magnésio na gravidez ajuda a combater o cansaço e a fadiga, mas este só deve ser tomado quando é indicado por um médico.
  • CARBOIDRATOS : Fornecem energia para a mamãe e para o desenvolvimento do bebê. Os melhores são os integrais : arroz, pães, macarrão e cereais, que são absorvidos mais lentamente, e por isso saciam.
  • PROTEÍNAS : Encontradas em carnes e ovos. São responsáveis por construir, manter e renovar os tecidos de mamãe e bebê.
  • LIPÍDEOS : São encontrados em alimentos como milho, nozes e em azeites, como o de canola. São as gorduras que auxiliam na formação do sistema nervoso central do feto. Encontrados mais em carnes, leite e derivados, abacate, azeite e salmão.
  • VITAMINA A : Presente em alimentos como a cenoura, a vitamina A ajuda no desenvolvimento celular e ósseo e a formação do broto dentário do feto e na imunidade da gestante.

Cada fase da gravidez exige um consumo maior ou menor de um tipo de vitaminas e minerais. É muito importante sempre consultar com a médica para saber exatamente como você deve se alimentar.